Normatização BIM no Brasil.

12 Mar 2018

Autor:

Apesar de que temos operado softwares de base BIM no Brasil (como Revit, Archicad, Navisworks, Solibri, Tekla entre outros) há quase duas décadas, a primeira normatização brasileira (na verdade, uma tradução da mesma norma ISO em inglês) só foi lançada em 2010: NBR ISO 12006:2 - Organização da informação da construção. O objetivo desta norma foi definir recursos, processos e resultados da construção e classificá-los dentro de uma padronização nacional. Apesar de bem intencionada, a norma deixou de definir a real padronização do conteúdo das tabelas e diagramas, tornando o conteúdo subjetivo e refém da interpretação dos usuários da norma.

 

Desde 2011, a ABNT, a partir da Comissão de Estudo Especial CEE-134, começou a publicar a NBR 15965 - Sistema de classificação da informação, primeira normatização 100% brasileira para trabalhos em BIM. A referida norma é dividida em 7 partes, sendo que apenas 4 delas foram publicadas até a produção deste artigo:

  • NBR 16965-1:2011 - Terminologia e estrutura

  • NBR 16965-2:2012 - Características dos objetivos da construção

  • NBR 16965-3:2014 - Processo da construção

  • NBR 16965-4:20xx - Recursos da construção

  • NBR 16965-5:20xx - Resultados da construção

  • NBR 16965-6:20xx - Unidades da construção

  • NBR 16965-7:2015 - Informação da construção

 

Baseada na NBR ISO 12006:2, a NBR 15965 define que todo e qualquer objeto de interesse para a construção civil possa ser classificado utilizando seis grandes classes que definem: a característica, o processo, o recurso, o resultado, a unidade e a informação da construção (Figura 1). Além da parte 1, as partes da NBR 15965 já lançadas (2, 3 e 7) definem, respectivamente, quais são as características, os processos e as informações que se gostariam de extrair e classificar numa modelagem da informação.

 

Figura 1 - Classificação dos objetos da construção civil. Fonte: Adaptado de NBR 15965-1:2011.

 

Portanto, caso queiramos falar sobre o insumo Cimento Portland comum CP-I, por exemplo, e classificá-lo com relação à NBR 15965:2, temos os seguintes identificadores:

 

0M por se tratar de um material; 20 por se tratar de um composto sólido; 10 por ser um composto mineral; 05 por estar dentro da categoria de outros materiais cimentícios; 03 por ser da categoria de cimentos; 01 por estar dentro da categoria de cimento comum; e 01 por ser o objeto Cimento Portland comum CP-I. Portanto, sua classificação completa será, de acordo com a NBR 15965-2:

 

0M. 20. 10. 05. 03. 01. 01. - Cimento Portland comum CP-I

 

Essa classificação, uma vez implementada e utilizada por todas as partes interessadas no projeto e na construção de um empreendimento, será de muita utilidade no rastreamento e controle das informações da construção. Serviços como planejamento da execução, orçamentação, gestão da obra entre outros, serão muito beneficiados.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Sobre o IFC: parte 01

April 2, 2018

1/3
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

Telefone
+55 48 9 9613-3540

  • White LinkedIn Icon
  • facebook

© 2020
por Felipe Góes